quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Sururu: Gastronomia e economia alagoana

O sururu é encontrado em lagoas, vindo de águas salobras e pescado por pescadores que vivem na região. Pode ser o da pedra, aqueles maiores que tem uma coloração rosada, que ficam agarrados às pedras no mar, ou os dos manguezais, de menor tamanho sendo o molusco mais escuro. Tanto um como o outro tem o mesmo sabor característico.


Um prato delicioso, barato e da nossa terra, que garanti a sobrevivência de muitos alagoanos, que o tem como fonte de renda para seu sustento. É um dos mais servidos e pedidos, sugerido aos turistas, para que provem um pouco do sabor da terra dos marechais.

Em todo local que você pensa em comer, seja em barzinhos ou restaurantes sofisticados, você encontra o sururu em seus cardápios, ele cozido num molho saboroso, ao leite de coco, ou acompanhado com uma boa farofa. Em bares ele é um dos pratos de entrada, seu caldinho bem apimentado, também é bem procurado, uma degustação que vale a pena provar.

O visitante que o aprecia fica com água na boca, um prato simples, que fica pronto em poucas horas, que faz parte da cozinha regional e um dos mais degustados em Maceió. O sururu pode ser apreciado de diversas formas, seja o seu caldinho, moquequa acompanhado de camarão ou até mesmo com uma boa farofa de manteiga ou alho. Acompanhado de arroz solto ou integral.



Onde comer:

Quiosques, bares e restaurantes da orla marítima, Lagoa Mundaú e Manguaba, Pontal, praias do Sul e Norte (Maragogi, Paripueira, Ipioca, Gunga, Francês, Saco) e outras localidades na aréa urbana de Maceió.

Nenhum comentário:

Postar um comentário